Histórico

História do setor

A atuação dos distribuidores de veículos começou antes mesmo da instalação da indústria automobilística no Brasil. A partir da década de 50, com a chegada das montadoras e a produção local, os concessionários ampliaram suas operações, investiram em modernizações, formaram suas associações de marca e criaram a própria Fenabrave. Entre os principais desdobramentos desta história, a categoria conquista, em 1979, a regulamentação do setor com a aprovação da Lei Renato Ferrari 6729/79. Outros fatores, como a participação efetiva dos distribuidores nas Câmaras Setoriais e até mesmo o apoio dos brasileiros na formação da Aladda (Associação Latino-Americana de Distribuidores de Veículos Automotores), em 1973, foram marcos expressivos desta história. Navegar por essas páginas é fazer uma viagem no tempo e uma forma de manter viva a história de lutas de uma categoria que segue na firme defesa de seus interesses, em prol da economia, mercado e, efetivamente, do consumidor final.

DATAS: 

1896: Primeiro carro chega ao Brasil.

1910: Agentes importadores começam a vender carros.

Comprar um carro no Brasil, no início do século XX, exigia muito dinheiro, paciência e coragem. Nos idos de 1910, eram raros os automóveis que circulavam pelas ruas de São Paulo e Rio de Janeiro, costumeiramente ocupadas por pedestres, cavalos, charretes e bondes com tração animal. O século XX estava começando e comprar um carro naquela época era uma verdadeira aventura. Os primeiros modelos foram importados por seus compradores de fabricantes europeus. A proeza era restrita a empresários com contas bancárias bem generosas. A distância, os altos preços, a demora na entrega e as comunicações precárias contribuíam para uma boa dose de apreensão até que o produto fosse entregue. O surgimento dos agentes serviu para facilitar as transações. Os “dealers“, como os americanos chamavam esses agentes, representavam os fabricantes, recebendo pedidos, agilizando a documentação e dando garantias de que o produto seria entregue. Concentrados no eixo Rio-São Paulo, os agentes importadores não chegavam a ser uma rede de distribuição, mas foram uma espécie de embrião da futura rede autorizada, que surgiu após a implantação do sistema CKD de montagem dos veículos no Brasil. (Fonte: www.fenabrave.org.br)

1920: Surgem os primeiros revendedores e são instaladas as primeiras montadoras no Brasil.

Rede autorizada: O sistema de montagem de carros no Brasil faz as vendas explodirem em 1920 e obriga fábricas a criarem redes de distribuição. Os primeiros revendedores autorizados no país (o termo “concessionários” surgiu após a Lei 6729/79) surgiram após a implantação do sistema CKD (Completely Knocked Down), onde os carros passaram a ser importados em peças e montados no Brasil. A comercialização dos veículos cresceu consideravelmente e levou as montadoras a criarem suas redes de distribuição. A nova relação entre fábrica e distribuidor era regida por Contrato de Concessão ou adesão, que protegia os interesses da montadora e controlava os revendedores de forma administrativa e comercial. Muitos dos antigos agentes importadores se tornaram revendedores autorizados. Quem saiu ganhando foi o consumidor, que passou a contar com uma rede de assistência técnica com oficinas e mão de obra especializada. Enquanto isso, as vendas disparavam. Apesar da crise econômica mundial, em 1929, São Paulo importou 43.657 automóveis e 25.858 caminhões. A importação de peças foi atingida pelo “crack” da Bolsa de Nova York, mas isso também fez com que as redes de manutenção e reparos se desenvolvessem no Brasil.

Contratos de concessão: Os primeiros contratos de concessão na revenda de veículos foram assinados depois que o Brasil passou a ter os primeiros carros montados no país, em 1920. Depois que a produção disparou na segunda metade do século XX, com os índices de nacionalização dos veículos crescendo cada vez mais, as montadoras se viram na obrigação de remodelar o sistema de distribuição em nível nacional e acabaram revendo os contratos em vigor. Além disso, a rede foi ampliada com o credenciamento de novas empresas que já comercializavam veículos (importados e usados) e mesmo por algumas sem nenhuma tradição no ramo. Os novos contratos de concessão, para os antigos e tradicionais distribuidores, significaram controle em nível comercial, administrativo e operacional ainda maior por parte das fábricas. Com as novas regras, os concessionários eram obrigados a manter estoques de carros, peças e acessórios de acordo com volume e prazos determinados pela montadora. O zoneamento da distribuição ficava a cargo da indústria, que tinha autonomia também para realizar modificações unilaterais dos contratos. Os concessionários ficavam sujeitos a interferência das fábricas em suas ações. Apesar do quadro desfavorável em relação às montadoras, as concessionárias ganhavam status de “centro automobilístico”, dada a explosão das vendas e ao aumento do número de serviços oferecidos. Entre 1957 e 1961, a produção automobilística saltou de 30.542 unidades para 145.584. (Fonte: www.fenabrave.org.br)

1950 - O Fusca

Em 1950, o Fusca passou a ser montado no Brasil com peças importadas.

1953 Fundação da Volkswagen do Brasil

1953: Volkswagen do Brasil é fundada em um armazém alugado no bairro do Ipiranga, na cidade de São Paulo, onde passou a montar o Fusca e a Kombi com componentes importados da Alemanha.

 

 

 

 

 

 


1956: Presidente JK cria o GEIA

1956: Presidente JK cria o GEIA (Grupo Executivo da Indústria Automobilística). Mercedes-Benz inaugura fábrica de caminhões em São Bernardo do Campo – SP e é criada a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores – www.anfavea.com.br).

 

 

 


1958 - Sedan-Turismo, da DKW-Vemag

1958: Sedan-Turismo, da DKW-Vemag é apresentado – primeiro carro com 50% das peças nacionalizadas.

1965: Fundação da Fenabrave-PR com o nome de Arvetiba

1965: Fundação da Fenabrave-PR com o nome de Arvetiba (Associação de Revendedores de Veículos de Curitiba). Fundação da Abrave (Associação Brasileira de Revendedores Autorizados de Veículos). ABRAVE (Associação Brasileira de Revendedores Autorizados de Veículos) – entidade nacional – foi fundada em 18 de março de 1965, durante um almoço comemorativo, realizado na sede do Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo-SP. A cerimônia celebrou a transformação da então Acovesp na nova entidade, que passaria a reunir os distribuidores de todo o país. O primeiro presidente da Abrave foi Francisco João Caltabiano, que dirigia a associação anterior. As metas iniciais eram unir os concessionários, esclarecer as funções econômicas e sociais do setor à opinião pública, criar planos de financiamento ao consumidor, promover cursos para qualificar os serviços de assistência técnica prestados pelas concessionárias. Os distribuidores passaram a ter, na Abrave, um porta-voz, não apenas junto às montadoras, representadas pela Anfavea, mas também perante ao Governo e à Imprensa. As instalações modestas da entidade e o orçamento tímido, no início, não foram obstáculos ao crescimento da entidade. A diretoria, até mesmo com recursos próprios, viajava pelo país buscando novos associados.  As diretorias regionais foram fundamentais para a consolidação e representatividade do setor em nível nacional, assim como as Associações de Marca foram um desdobramento importante na relação entre os distribuidores e as montadoras. Os interesses de cada segmento da distribuição passaram a ser discutidos com o respectivo fabricante. Criadas junto à Associação, as Diretorias Regionais da Abrave foram muito importantes na consolidação do setor de distribuidores brasileiros, por manter uma relação de mão dupla com a diretoria nacional. Se por um lado recebiam apoio jurídico, administrativo e fiscal da sede nacional, localizada em São Paulo, por outro lado funcionavam como um termômetro do mercado em todo o território nacional. As informações passadas pelas regionais permitiam à Abrave a definição de suas estratégias, já que lhe era permitido ter uma visão geral da distribuição de veículos no Brasil de acordo com estados e regiões. Em apenas nove meses de existência, a Abrave estava representada em sete diretorias regionais, cobrindo todos os estados do Sul e Sudeste do País. Para se ter uma ideia da dimensão dessa representatividade, de um total de 2.183 concessionários na época, 1.937 estavam nas áreas atingidas pela Abrave. Não demorou muito para essa cobertura passar a ser total. (Fonte: www.fenabrave.org.br)

1967: Surgem as associações de marca.

1967: Surgem as associações de marca. Consciente da existência de peculiaridades em cada marca, em março de 1967, a Abrave criou as chamadas Diretorias de Relação com as Fábricas. Com isso, cada Diretoria era destinada a um dos fabricantes de veículos instalados no Brasil, com a responsabilidade de discutir questões específicas, distintas em cada contrato de concessão.  Esses grupos foram os precursores das Associações de Marca, que começaram a surgir no início dos anos 70. Formadas por representantes dos concessionários de cada marca, as Associações passaram, igualmente, a ter como objetivo discutir os interesses dos distribuidores com seus fabricantes específicos. A primeira barreira enfrentada pelas associações foi a forte resistência das montadoras, que se negavam a reconhecer a legitimidade dessas entidades. A aceitação se dava depois da imposição de várias pré-condições, mas as montadoras não tinham como negar a força econômica e representatividade dos distribuidores, que já eram notórias em todo o País. A primeira associação, criada em dezembro de 1972, foi a Assobrav (Associação Brasileira de Distribuidores Volkswagen), marca líder na época, com mais de 60% do mercado. As outras entidades seguiram os mesmos passos, surgindo em uma época em que o relacionamento entre montadoras e associações já era conflitante, pois as fábricas impunham contratos desvantajosos aos distribuidores e sempre ameaçavam com o fantasma do cancelamento da concessão. (Fonte: www.fenabrave.org.br)

1969 - dois milhões de carros produzidos no Brasil.

1969: A indústria comemora dois milhões de carros produzidos no Brasil.

1973: Formação da Aladda

1973: Formação da Aladda (Associação Latino-Americana de Distribuidores de Veículos Automotores) – www.aladda.com

 

 


1974: Produção chega a 905 mil unidades ao ano.

1977: Produção cai 7%.

1979: Regulamentação do setor

1979: Regulamentação do setor com a aprovação da Lei Renato Ferrari 6729/79. Realizado o primeiro congresso da Abrave.

Legenda: Renato Ferrari recebe homenagem da Fenabrave no Congresso de 2010.

1981: Indústria produz 67% do que produziu em 1980.

1983: A primeira convenção coletiva ocorreu.

1986: Plano Cruzado - procura é maior que a oferta.

Legenda: O Presidente do Brasil, José Sarney, promoveu o Plano Cruzado. Foto: Ricardo Stuckert

1989: Fenabrave

1989: a Abrave se transforma em Fenabrave (www.fenabrave.org.br)

 

 


1990: Crise econômica

1990: Crise econômica leva a demissões na indústria automobilística. É fundada a Fenacodiv, que congrega os Sincodivs de todo o país.

1992: ``Carro Popular``.

1992: Fenabrave participa das Câmaras Setoriais que lançam Projeto “Carro Popular”. Concessionários abrem mão de 2,5% de suas margens de comercialização para alavancar vendas.

1995: Indústria produz 1.629.008 unidades e enfrenta a ``Febre dos Importados``

1996: O Sincodiv-PR

1996: O Sincodiv-PR (Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado do Paraná – integrante da Fenacodiv (Federação Nacional dos Concessionários e Distribuidores de Veículos) é fundado em dezembro de 1996. Projeto Solução/Fenabrave beneficia menor carente. Fenabrave leva projeto de Renovação de Frota ao Governo.

1997: é considerado o ano recorde na produção

1997: é considerado o ano recorde na produção, com mais de dois milhões de veículos fabricados. Produção recorde – 2.069.703 veículos – Fonte: Anfavea. Fenabrave Nacional (SP) ganha nova sede www.anfavea.com.br

1998: Queda na produção anual de 23,38%

1998: Queda na produção anual de 23,38% – Reflexo Crise Asiática e Russa. Fonte: Anfavea. Fenabrave lança movimento Rentabilidade Já! . Fenabrave Nacional muda estrutura – Entidade passa a ter presidente profissional

1999: Ação Já!

1999: Ação Já! É criada como nova bandeira de luta da categoria dos distribuidores. Distribuidores de veículos integram Acordos Emergenciais entre Governo, setor automotivo e trabalhadores.

2000: Fenabrave vai ao CADE

Crédito: Magdalena Gutierrez

2000: Fenabrave vai ao CADE defender uma relação mais justa entre montadoras e concessionárias. Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, participa da Abertura do X Congresso Fenabrave, na Bahia.

 

 

 

 


2001: O Sincodiv-PR inaugura sua sede própria

2001: O Sincodiv-PR inaugura, em 15 de fevereiro de 2001, a sua sede própria, atendendo a uma aspiração de todos os concessionários e distribuidores do Paraná.

Legenda: Recepção


Legenda: Copa


Legenda: Sala de reuniões


Legenda: Auditório com 43 lugares

 

 

 

 

 

 

 


2003: Fenabrave leva ao Governo Lula o Relatório Analítico e propostas

Crédito: Biblioteca da Presidência da República

2003: Fenabrave leva ao Governo Lula o Relatório Analítico do Setor e propostas para colaborar com os programas “Fome Zero” e “Primeiro Emprego”. Waldemar Verdi Jr., vice-presidente da Fenabrave, passa a fazer parte do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Governo Lula.

 

 

 

 

 

 


2004: Fenabrave-PR e Sincodiv-PR realizam Ciclo de Interiorização no Estado

2004: Fenabrave-PR e Sincodiv-PR realizam Ciclo de Interiorização no Estado, com palestra do então Secretário Estadual da Fazenda, Eron Arzua. Evento, realizado na cidade de Foz do Iguaçu, contou com a presença do presidente da Fenabrave Nacional, Hugo Maia de Arruda Pereira.

 

 

 

 


2005: Encontro Regional da Fenabrave

Legenda: Assis Augusto Pires

Encontro Regional da Fenabrave, em Curitiba, promovido pela Fenabrave Nacional, recebeu Assis Augusto Pires, presidente do Conselho Nacional da Fenabrave. O evento divulgou o Portal Tela da entidade, de acesso exclusivo dos concessionários cadastrados-, que contém o mais completo banco de dados do setor de distribuição – incluindo novos e usados -, análises mercadológicas.

2006: Fenabrave-PR e Sincodiv-PR promovem o workshop Pós-Vendas

Legenda: Palestrante Marcelo Munerato do workshop Pós-Vendas: Peças e Serviços.

Fenabrave-PR e Sincodiv-PR promovem o workshop Pós-Vendas: Peças e Serviços aos concessionários de diversas regiões do Estado, abordando gestão do futuro, atendimento ao cliente, vendas e negócios, e oportunidades de crescimento. Concessionárias da Grande Curitiba passam a abrir apenas nos últimos dois domingos do mês.

Convênio firmado pelo Conselho Nacional de Política Fazendária – CONFAZ. Em vigor desde 7 de julho de 2006, o convênio estabelece, em todo o território nacional, disciplina para a venda de veículos realizada por pessoa jurídica, que explore a atividade de produtor agropecuário, locação de veículos e arrendamento mercantil. A Lei Estadual nº 14.981, de 28 de dezembro de 2005, foi sugerida pela Fenabrave em novembro de 2005.

2007: Congresso Nacional da Fenabrave é realizado em Curitiba pela primeira vez

Legenda: Sérgio Reze

Congresso Nacional da Fenabrave é realizado em Curitiba pela primeira vez. O presidente Nacional da entidade no ano era Sérgio Reze. O sucesso do evento fez com que a entidade repetisse a ação do ano de 2008.

2009: Fenabrave-PR e Sincodiv-PR promovem encontro com Delegados Regionais do Paraná

Fenabrave-PR e Sincodiv-PR promovem encontro com Delegados Regionais do Paraná, em Curitiba. Encontro Regional, organizado pela Fenabrave Nacional, lança Universidade Fenabrave e recebe a palestra do economista Ricardo Amorim.

Legenda: Encontro entre Delegados Regionais.

Legenda: Encontro entre Delegados Regionais.


Legenda: O diretor-regional da Fenabrave-PR, Luís Antônio Sebben, em 2009, com Ricardo Amorim.

Legenda: O diretor-regional da Fenabrave-PR, Luís Antônio Sebben, em 2009, com Ricardo Amorim.

2010

Maio de 2010: Entidades realizam o Ciclo de Interiorização nas cidades de Curitiba, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu, Cascavel, Pato Branco, Guarapuava, Londrina, Maringá, Paranavaí, Campo Mourão, Umuarama, Paranaguá e União da Vitória. Os encontros começaram em maio e terminaram em agosto. Houve um sorteio em cada cidade que um colaborador da concessionária sorteada ao Congresso Fenabrave, em setembro.

Setembro de 2010: Sincodiv-PR realiza o 1º Encontro de Profissionais de Recursos Humanos das Concessionárias de Veículos.

Novembro de 2010: Fenabrave-PR e Sincodiv-PR realizam palestra sobre Direitos Humanos no Trabalho, com o headhunter Bernt Entschev. Participaram desse evento 80 concessionários.

2011

Março e Abril de 2011: Foz do Iguaçú e Maringá são palco do Encontro Regional de Concessionários, que contou com a presença de Alarico Assumpção Junior (presidente Executivo da Fenabrave Nacional), palestra de Osmar Rodrigues Hidalgo, consultor especializado em estratégia de Pós-Venda), Marcelo Antônio da Silva (advogado especializado em Direito do trabalho), e do publicitário Ernani Buchman.

Legenda: Luís Antônio Sebben, Bernt Entschev, Osmar Hidalgo, Alarico Assumpção Junior e Ernani Buchman.

Agosto de 2011: Fenabrave-PR e Sincodiv-PR organizam Encontro Regional de Concessionários com a presença do presidente nacional, Sérgio Reze, e palestra do administrador Osmar Hidalgo.

Novembro de 2011: Ocorrem as eleições da nova diretoria do Paraná, que toma posse em dezembro – Chapa eleita Phillip Altheim, presidida por Helmuth Altheim.

Dezembro de 2011: Foram produzidos 3.406.150 unidades de autoveículos no Brasil e exportadas 541.568 unidades. As vendas no Brasil foram de 5.767.886 de veículos e 376.325, no total, do Paraná.

2012

Fevereiro de 2012: Comitiva do Paraná prestigia a Convenção da N.A.D.A., em Las Vegas, nos EUA.

 

Maio de 2012: Entidades encerram o processo de criação das novas logomarcas.

 

Agosto de 2012: Delegação do Paraná prestigia o Congresso Nacional da Fenabrave, no Expo Center Norte, em São Paulo. Evento recebe 2.500 participantes de todo o país, em três dias de evento, que ofereceu 40 palestras nacionais e internacionais.

 

Outubro de 2012: Entidades apoiam “Outubro Rosa”.

 

Novembro de 2012: Entidades realizam tradicional almoço de confraternização de final de ano com a imprensa.

 

 

 

2013

Janeiro de 2013: Delegação do Paraná prestigia evento mundial de concessionários da NADA (National Automobile Dealers Association).

 

Agosto de 2013: Fenabrave realiza 23º Congresso Nacional e ExpoFenabrave 2013. Delegação do Paraná prestigia o evento.

Setembro de 2013: Fenabrave-PR e Sincodiv-PR homenageiam advogado fundador do Sincodiv-PR, Marcos Henrique Machado Pereira (falecido em novembro de 2013).

 

Dezembro de 2013: Fenabrave-PR e Sincodiv-PR realizam tradicional almoço de confraternização com a imprensa.

 

2014

Janeiro de 2014: Concessionários criam Assodaf na sede do Sincodiv-PR.

 

 

Março de 2014: Entidades realizam 6º Encontro Regional Fenabrave e Sincodiv/PR em Foz do Iguaçu.

 

Abril de 2014: Entidades realizam 6º Encontro Regional Fenabrave e Sincodiv/PR em Curitiba.

 

Maio de 2014: Entidades realizam 6º Encontro Regional Fenabrave e Sincodiv/PR em Londrina.

 

Junho de 2014: Almoço com a imprensa do Paraná para lançamento do 24º Congresso Nacional e ExpoFenabrave 2014 em Curitiba.

 

Junho de 2014: Visita ao prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, para entrega do convite oficial do 24º Congresso Nacional e ExpoFenabrave 2014 em Curitiba.

 Agosto de 2014: Fenabrave realiza 24º Congresso Nacional e ExpoFenabrave 2014, em Curitiba, nos dias 13 e 14 de agosto.

Setembro de 2014: Eleições regionais.